Radares móveis são retirados das rodovias goianas

Radares móveis são retirados das rodovias goianas

Por determinação do presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Enio Caiado, os radares móveis foram retirados das rodovias estaduais. A medida não anula a fiscalização por meio dos radares fixos, estes que contribuem para a segurança da circulação de veículos nas rodovias goianas. Segundo o presidente, os equipamentos móveis não têm caráter educativo e favorecem irregularidades na aplicação de multa. Estavam em operação no Estado de Goiás 54 radares móveis, sendo 30 unidades - modelo portátil com tripé e 24 unidades - modelo “pistola”.

“A determinação atende pedido do próprio governador Ronaldo Caiado para evitarmos a chamada ‘indústria da multa’. Nossa administração é transparente, o cidadão não pode cair em armadilhas com radares escondidos atrás de uma ponte, ou árvore. Em relação à segurança nas pistas, não haverá nenhuma mudança, pois radares fixos, lombadas eletrônica e físicas permanecerão, assim como a presença do Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual”, afirma Enio.

A Agetop também realiza, por meio da equipe de Engenharia de Tráfego, estudo para avaliar a necessidade de implantação de mais radares fixos em posições estratégicas e educativas. Enio Caiado lembra ainda que a retirada dos radares móveis ocasionará economia para o Estado, já que se trata de equipamentos caros que a partir de agora não será necessário o pagamento do aluguel. “Está em tramitação na Câmara dos Deputados projeto de lei (PL 3340/2015) que proíbe a fiscalização por meio do registrador de velocidade do tipo móvel em todo o Brasil e corrobora com o nosso planejamento. Tudo para que o cidadão seja beneficiado”.